Viagem internacional com cães e gatos

Pensando em viajar para o exterior com o seu pet? Para isso, se informe com bastante antecedência porque tanto para sair como para entrar no País são exigidos uma série de procedimentos e documentos para garantir a saúde do seu animal de estimação.

Cada país tem a sua regra

O primeiro cuidado a tomar é verificar as regras do destino que você irá visitar com o seu  bichinho. Cada país tem exigências diferentes e o processo de autorização de viagem pode demorar meses.

Exames e vacinas em dia, especialmente contra raiva, normalmente estão entre essas exigências. A maioria dos destinos também solicita que o seu cão ou gato tenha um microchip de identificação. Muitas vezes, também é solicitado que seu bichinho passe por uma quarentena para ter a entrada no país autorizada.

Companhia aérea

Verifique também as regras de transporte da companhia aérea escolhida para não ter problemas na hora do embarque. Algumas companhias restringem as raças que podem viajar por conta da segurança no vôo.

As exigências em relação à caixa de transporte e se o pet poderá viajar na cabine com você, também devem ser checadas com a companhia aérea.

Para sair do Brasil

Para qualquer viagem internacional de cães e gatos, o estado de saúde e o histórico sanitário do animal devem estar declarados em documento emitido pelas autoridades veterinárias do país de origem e aceito pelo país de destino.

No Brasil, esses documentos são o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos e o Certificado Veterinário Internacional, conhecido como CVI. Os dois documentos têm o objetivo de atestar tanto as condições de saúde do animal quanto o cumprimento das condições sanitárias exigidas para o trânsito internacional até o país de destino.

A principal diferença é que o Passaporte pode ser usado para várias viagens durante toda a vida do animal, enquanto o CVI deve ser emitido a cada viagem que o animal for realizar. Com o Passaporte, as informações sanitárias são validadas a cada viagem, dando mais agilidade e segurança ao processo. Saiba mais sobre como obter esses documentos aqui.

Passo a passo

1- Busque informações sobre as normas sanitárias exigidas pelo país de destino. Para isso, consulte a lista dos países mais procurados na página do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ou solicite informações à Embaixada/Consulado.

2- Providencie o atendimento das exigências sanitárias e junte a documentação necessária com a antecedência requerida. Dependendo do país de destino, deve-se planejar a viagem com bastante antecedência para possibilitar a realização dos procedimentos (exames, tratamentos, vacinações, etc) exigidos.

3- Preencha o Requerimento para Fiscalização de Animais de Companhia, podendo o mesmo ser apresentado nos idiomas inglês, português ou espanhol.

4- Com toda a documentação exigida, procure uma Unidade do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (VIGIAGRO) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento nos aeroportos, portos ou postos de fronteira ou as Superintendências Federais de Agricultura (SFA) em cada Estado para emitir o Certificado Veterinário Internacional (CVI). As autoridades brasileiras só podem emitir o CVI se todos os requisitos sanitários exigidos pelo país de destino forem cumpridos.

5- O animal deve ser submetido a um exame clínico realizado por um médico veterinário registrado no CRMV-UF, que ateste que o animal se encontra clinicamente saudável e apto a viajar para o país de destino. A validade do atestado varia conforme cada país.

6- Conforme as exigências do país de destino, em alguns casos, será preciso levar o pet no momento de solicitar o CVI. Em outros, o tutor e o médico veterinário que emitir o atestado são responsáveis pela fidelidade das informações, que serão fiscalizadas nos pontos de ingresso/egresso.

Malas prontas e toda documentação arranjada para seu pet? É só curtir as férias e tirar muitas fotos. Boa viagem!

Att,

Equipe Qualvet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *