PETs Exóticos: O caso “DORY”

palette_peixe_dory
(Royal Blue Tang: Cirurgião-Patela)

Não é de hoje que muitas pessoas passaram a adotar animais exóticos e silvestres e a criá-los dentre de casa. Além dos cães e gatos, muitos outros animais têm sido domesticados e comercializados (muitas vezes de forma ilegal e sem a autorização do IBAMA) em todo o país e até mesmo vindos de território internacional.

Veja a seguir algumas espécies animais criadas como PETS, e que passaram a dormir dentro de casa:

Hamster (Sírio e Anão Russo Campbells)
Calopsita
Cobras (Cobra do Milho ou CornSnake)
Furão
Iguanas
Porco
Mini Porco
Porquinho da Índia
Aranhas (Tarântula)
Peixes Palhaço e Cirurgião-Patela (Espécies ilustradas nos filmes de animação da série “Procurando Nemo”, e que caracterizam os personagens “Nemo” e “Dory”).

Muitas espécies de animais silvestres acabam por se tornar personagens de filmes e animações, e por influenciar crianças e adultos ao consumo (precipitado e descuidado) de espécies animais que requerem cuidados particulares, e acabam sofrendo com a domesticação.

Um exemplo recente foi o lançamento da continuação “Procurando Dory”, uma animação infantil que tem influenciado a compra desenfreada da espécie marinha Royal Blue Tang (conhecida no Brasil por peixe cirurgião-patela), e gerado grande preocupação para ativistas e ONGs de proteção ambiental ao redor do mundo. É previsto que muitos peixes dessa espécie serão retirados de corais e capturados ilegalmente para serem fornecidos à comercialização em lojas. Além do desequilíbrio ambiental causado pela retirada da espécie de seu habitat natural, o peixe cirurgião-patela possui peculiaridades de alimentação e ambientalização (temperatura e pH da água) que podem ser decisivas para a sua viabilidade em aquários de estimação. A falta de informação e cuidados por parte dos consumidores pode levar à aquisição trágica de uma espécie que não resistirá ao ser realocada, e que demandará gastos não considerados na hora da compra.

CLOWNFISH(Clownfish: Peixe-Palhaço)

É de extrema importância que, assim como no caso de pets mais comuns como cães e gatos, os consumidores calculem os custos e a dedicação envolvidos na criação de um animal, para que possamos reduzir a aquisição negligente e irresponsável dessas espécies. De maneira similar, na época em que foi lançado o primeiro longa da série “Procurando Nemo” também houve o aumento da procura por exemplares do peixe-palhaço (Clownfish), gerando o mesmo tipo de preocupação ambiental e
de bem-estar.

Além dessas espécies de peixes, todas as outras espécies de origem silvestre que sejam criadas como PETs, necessitam de autorização do IBAMA para comercialização e posse legal.

Mais informações sobre espécies exóticas usadas como animais de companhia, e sobre licenças governamentais podem ser encontradas no endereço abaixo:

http://www.ibama.gov.br/

Att,

Equipe Qualvet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *