Cuidados com os pets nos dias de calor

O verão vem com tudo e sempre traz consigo uma série de preocupações que devemos ter com a saúde, tanto nossa quanto dos nossos bichinhos de estimação. É muito comum ver o seu cachorro com a língua para fora, o gato bebendo muita água, outros se escondendo do sol, etc.
Infelizmente, alguns donos não estão atentos a alguns problemas que o calor pode gerar nos animais. Alguns deles, por exemplo, têm pelos muito espessos, o que faz com que sintam muito mais calor. Não dá para ter uma ideia exata do que o seu pet está sentindo pela sua percepção do tempo.
Justamente para evitar problemas tão comuns nesta época do ano, como a desidratação, os choques térmicos, as queimaduras vindas do sol e os machucados nas patas, elaboramos esse guia com algumas dicas para os donos. Fique de olho para não cometer esses erros.

Hora certa para o passeio

Independentemente se é você quem leva o seu cão para passear ou se contrata um serviço de dog walker, deve se submeter a uma regra básica. É bem simples: não leve para passear entre as 10h e 16h, período em que o sol está mais quente.
Isso é o recomendado por veterinários especialistas, que veem em seus consultórios uma série de problemas resultantes desses passeios. Ah, e procure também deixá-lo andar em lugares que absorvem menos o calor, como a grama, e onde seja bastante sombreado, mesmo que vá quando a temperatura não está tão alta.

Hidratação é essencial

Em níveis mais extremos de desidratação, pode até mesmo ser necessário levar o animal a um veterinário urgência. Principalmente em bichinhos mais idosos, isso pode ser um problema sério. Fique atento aos sinais, peça à veterinária para ensiná-lo como ver isso. O mais importante é sempre ofertar água. Se ele tem algum problema e não pode tomar por si mesmo, dependendo de você, dê mais vezes durante o dia, conforme orientação do veterinário.

Utilizando protetor solar

Você pode encontrar como um produto para pets os protetores solares. Sim, eles existem e podem fazer toda a diferença para que o seu companheiro não se queime. Ele é específico para uso animal e deve ser utilizado nas regiões do corpo que menos têm pelos e que, portanto, estão mais expostas ao sol.

Cuidado com o cansaço

Se você perceber que o animal está muito desconfortável, cansado, ofegante, que não quer se mover, saliva em excesso e não quer levantar nem para brincar, passear, tomar água ou comer, corra para um veterinário 24 horas. Esse é um caso de emergência.
Ele pode estar acompanhado de outros sinais que você talvez não saiba verificar, como a alteração na frequência cardíaca e na frequência respiratória. Ainda pode estar vomitando, com fraqueza muscular, as mucosas e a língua com coloração estranha (azulada ou cinza), convulsões ou inconsciente.
Esse pode ser o caso de algo grave, como um choque térmico. Leve-o para uma clínica veterinária o mais rápido possível, ele precisa ser consultado já. No caminho, deixe o ar condicionado do carro ligado e pode até colocar um pouco de gelo nas patas de trás ou na barriga do animal.

Entrar na água somente acompanhado

Se você tem gato provavelmente não é o caso, mas animais como cães muitas vezes adoram tomar um banho de piscina ou de mar para se refrescar. Se esse for o caso, ensine-o que só pode fazer na sua presença. Hoje em dia existem até mesmo boias para cães na forma de coletes, capazes de trazer uma grande tranquilidade para o dono.

Deixe o pelo curtinho

Como dissemos lá no começo, os animais tem pelagem, o que faz com que sintam mais calor que nós, seres humanos. Alguns, em especial, possuem estes pelos mais compridos e grossos, o que é ainda mais complicado.
Nesse caso, você pode comprar produtos de banho e tosa e dar o banho você mesmo, se tiver experiência. Caso contrário, é sempre indicado levar num pet shop de confiança. Lá eles podem tosar (o que não é recomendado que você faça sozinho em casa) e sabem exatamente o que fazer. Se você tem um gato, também pode escovar o pelo dele com mais regularidade.

Fique atento com os ectoparasitas

É mais comum nestes períodos mais quentes que carrapatos, pulgas e mosquitos apareçam e incomodem o seu animalzinho. Converse com o veterinário do seu bichinho para que ele recomende qual é o melhor produto a ser utilizado para evitar esse tipo de situação.
Fica exposto, em suma, que é importantíssimo ter em conta as condições de temperatura no cuidado dos animais domésticos. Eles são mais propensos do que os seres humanos a sentirem esses fatores, o que quer dizer que devemos ter mais cuidados. Esteja sempre atento aos sinais e siga nossas dicas para fazer do verão do seu bichinho mais agradável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *