Como viajar com um pet?

Se você tem alguma viagem importante e não sabe com quem deixar o seu pet ou vai ficar muito tempo fora, levá-lo com você pode ser uma boa opção. Felizmente, hoje em dia é cada vez mais fácil viajar com seu animalzinho, seja em ônibus ou avião.
Acontece que, é claro, o seu bichinho provavelmente não está acostumado a viajar assim, seja ele gato, cachorro, roedor, tartaruga, ave ou peixe. Os pets são muito apegados aos seus locais e não entendem o porquê da deslocação.
Por isso, vamos ensinar hoje como você deve fazer para viajar com o seu pet da melhor forma. Vamos responder às principais dúvidas e também quais são os cuidados que devem ser tomados.

Como transportar o pet?

Viajando de ônibus ou avião, o seu animal deve ser levado naquelas caixas de transportes. Se ele tiver até 15kg, poderá ser levado na cabine. Acima disso, é só no compartimento de cargas.
As caixas que vão na cabine devem ser diferentes das do compartimento de cargas. Às vezes pode ser de tecido, mais aberta ou mais fechada, depende das orientações de cada empresa. Especialmente as companhias aéreas tendem a ser mais rigorosas, então é bom conversar antes.

Meu pet pode sofrer na viagem?

De forma geral, os animais domésticos, sejam gatos, cachorros, tartarugas, aves, peixes, roedores, ou o que você tiver em casa, se estressam muito em mudanças de ambiente.
Por isso, o mais indicado é evitar viagens, principalmente se forem muito longas ou se forem constantes. Prefira levar o seu animal apenas se for gato ou cachorro e se forem viagens de finais de semana, acompanhando a família.
Se o seu bichinho estiver acostumado, a conversa é outra. Provavelmente ele não vai ficar estressado com a viagem. Isso só você é quem saberá dizer, de preferência com a ajuda de um veterinário de confiança.
Um problema para aqueles outros animais que são mais sensíveis é até mesmo o manejo deles. Em alguns casos, de fato a vida deles pode ser colocada em risco, como com peixes ou roedores, que são muito sensíveis. Neste caso, indica-se somente em mudanças definitivas, não em viagens temporárias.
Existem, porém, aqueles que mesmo gatos ou cachorros devem ser evitados de viajar o máximo possível, semente indo em caso de real necessidade:
• Fêmeas prenhes
• Animais idosos
• Animais com problemas cardiorespiratórios
• Animais com doenças neurológicas

Cuidados antes e durante a viagem

Algumas medidas são indicadas por profissionais de medicina veterinária para evitar que você e seu pet tenham problemas durante a viagem. Selecionamos algumas medidas abaixo:
• Jejum de comida de no mínimo 3 horas
• Levar para urinar antes da viagem
• Levar para defecar antes da viagem
• Deixar um cobertor para aquecê-lo (o compartimento de carga pode ser frio)
• Colocar identificação na coleira e na caixa
• Se a viagem for longa, ofertar água, por exemplo, e levar para dar uma volta para fazer as necessidades (se possível)
• Consulte com um veterinário especialista antes da viagem e converse se o seu cão ou gato pode ser sedado, se pode tomar remédio para enjoo, se necessita de atestado, etc
• É bom levar para banho e tosa antes, mas isso fica a seu critério

Deixando seu pet em casa

Se você leu o artigo e chegou à conclusão de que viajar não é o melhor para o seu caso, pode ficar tranquilo que existem alternativas. O seu pet não precisa ficar desamparado.
Hoje em dia, cada vez maior é o número de serviços de Pet Sitter. Esses profissionais ficam com seu gato ou cachorro na sua própria casa ou levam para a deles, como vocês combinarem. Essa é uma ótima alternativa, principalmente para gatos que não suportam sair do seu lar. É como se você deixasse seu pet com uma babá. Hoje em dia existem até empresas especializadas nas grandes cidades.
Outro serviço de qualidade é o de Dog Walker. Como sugere o nome em inglês, eles levam os cães para passear. Desse modo, seu cachorro não precisa ficar em casa sempre e pode dar uma voltinha para arejar a cabeça e encontrar novos cheiros e lugares.
O único cuidado que você deve ter é saber se esses profissionais são de qualidade. Procure por indicações. Veja, por exemplo, se a pet sitter tem alguma qualificação, se trabalha em pet shop por exemplo.

Com essas dicas, portanto, esperamos que você tenha conseguido entender se existe mesmo a necessidade de viajar com o seu animal e se vale a pena. Indicamos aqui quais são mais ou menos propícios a ir com você, bem como em que momentos e como levá-lo.
Se você leu e chegou à conclusão de que o melhor é deixá-lo em casa, sempre há a opção de quem faz o serviço de babá e de quem leva para passear. O melhor mesmo é conversar com um veterinário que conheça o seu pet. Ele irá saber indicar melhor, de acordo com as características particulares do seu bichinho de estimação.

Att,

Equipe Qualvet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *